Minha lista… de 16 ao 35

Planejar – parte II – Eis que consegui colocar no papel mais uma parte da minha lista de coisas para fazer antes de chegar aos 50 anos de idade…. a primeira já foi postada e recebi vários incentivos de amigos queridos. Obrigada. Agora segue a Parte II.

….

Na minha primeira lista, com 15 itens, tem um pouco de tudo e, depois de publicá-la, recebi apoios e incentivos indefectíveis para quem quer seguir adiante, como que quero nesta minha missão.

Descobri outras coisas que quero fazer e recebi sugestões valiosíssimas de muitas coisas que não poderão faltar. Não vou colocar em categorias, talvez depois o faça. Se é pessoal, se é de lazer ou de conhecimento, não importa. O que vale é listar e depois, mais importante ainda, executar, colocar em prática, ainda que seja complicado.

Então, vamos lá para listar mais coisas:

16 – Assistir a um musical. Em São Paulo há sempre bons espetáculos em cartaz e quero muito estar na plateia de um deles.

17 – Assistir a uma partida de futebol na Arena Allianz Parque. Nada a ver com o fato de meu marido ser palmeirense, mas sim com a beleza que o lugar oferece. Como assessora de imprensa de um time de futebol no interior (Grêmio Novorizontino) pude acompanhar dezenas de partidas num dos mais bonitos e bem estruturados estádios paulistas, o Jorjão. Nele me emocionei e me arrepiei com as manifestações da torcida. Imagino o que sentirei estando num lugar ainda maior, com uma energia sem fim!!!!

18 – Viver um momento de paz com Deus. Esta sugestão veio do amigo Marcelo Ribeiro. “Silenciar a cuca”, disse ele. Acho que este momento pode ser em qualquer igreja onde eu ainda não estive. Momentos especiais já vivi na minha cidade, na igreja onde frequento as missas; nas visitas que fiz a Aparecida – muito especialmente em 2013 quando o Papa Francisco esteve lá – mas acredito que haja ainda um lugar especial que vá me fazer ter este momento de silêncio especial.

19 – Visitar cidades com forte apelo cristão. Escolhi dois lugares: Roma – Itália, e Fátima – Portugal.

20 – Fazer uma peregrinação religiosa. Será que o tamanho aqui influencia? Em 2015 acompanhei – a convite da minha prima Lourdes Sampaio, um grupo que caminhou cerca de 15 quilômetros até a cidade vizinha Catiguá. Foi no dia 12 de outubro, dia de Nossa Senhora, e a celebração da missa, no final, foi emocionante. Mas quero outras peregrinações e aceito sugestões.

21 – Fazer um cruzeiro. Se for com os filhos também, melhor ainda. Mas a agenda de todo mundo anda tão maluca, que tenho minhas dúvidas. Mesmo assim, está listado e permite variação de formato.

22 – Visitar as Cataratas do Iguaçu. Por incrível que pareça, eu nunca estive lá. Parece tão fácil para a maioria fazer esta viagem, mas ainda não fui. Até 2018 irei, com certeza!!

23 – Visitar Buenos Aires. Ouço tantas histórias sobre o que a cidade oferece, que fico com água na boca de participar.

24 – Visitar amigos que moram longe. Louana, na Flórida; Valéria (Kuka) em Florença; Angelo e Família, no Canadá, e outros que queiram nos convidar. J

25 – Servir ao próximo. Desde que me conheço por gente ajudo em trabalhos voluntários. Me lembro que, quando menina, ajudava a decorar as ruas para as procissões de Corpus Christi; enfeitar a igreja ou participar da Coroação de Nossa Senhora. Ajudava nas quermesses e em outros eventos. Continuo fazendo isso de várias formas e quero continuar assim até o fim dos meus dias.

26 – Promover a gentileza. Tenho por hábito sorrir e cumprimentar quem passa por mim. Meus filhos muitas vezes se incomodam com esta minha mania de abordar as pessoas e conversar como se fôssemos velhos conhecidos, e isso inclui de crianças a idosos. Não me importo. Ando pela rua sorrindo e, sempre que consigo, abro ainda mais o sorriso e cumprimento. Nem sempre recebo o cumprimento ou o sorriso de volta, mas me dá prazer quando isso ocorre. Interessante é ver, por vezes, o espanto de quem recebe o sorriso e não esperava por ele, menos ainda por um “bom dia” ou “boa tarde”. Quero muito que as pessoas se sintam mais à vontade para se contagiar pelo bom humor do outro. A vida já é tão complicada e difícil quando temos bom humor. Imagine para quem não vê nenhuma razão para sorrir?

27 – Escrever um livro. Alguém disse, não faço ideia de quem tenha sido, que temos que cumprir três passos na vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Plantei mais árvores do que sou capaz de me lembrar. Aqui em casa temos dezenas, graças a Deus, e desde menina sempre adorei mexer com terra e plantar coisas. Tenho dois filhos lindos e amorosos, o sonho de qualquer mãe. Então falta mesmo o tal livro. Ele virá no momento certo.

28 – Saltar de paraquedas. Talvez seja uma das mais difíceis e ousadas, mas não custa listar.

29 – Voltar para a Zumba. É delicioso fazer esta dança e ela é maravilhosa para o meu bem-estar. Darei um jeito de incluir isto nas minhas prioridades, não só pelo efeito benéfico que ela tem para a saúde, mas especialmente para a alma.

30 – Bambolear. Aprendi com a Cristiane, personal trainer, que o bambolê não é só um brinquedo. Tenho dois grandes que ficam encostados, mas já vou dar utilidade para eles.

31 – Adotar uma dieta mais saudável e converter todos aqui em casa dos benefícios dela.

32 – Dedicar mais tempo às coisas que gosto, mesmo as mais bobas, como ler um bom romance; assistir animações com meus filhos; fazer pão caseiro com a ajuda do Vinícius; dormir na rede; replantar meus vasos, retomar meus artesanatos, etc…

33 – Ler os livros que fui deixando pelo caminho. Houve um tempo em que eu e um livro éramos inseparáveis. Mas os compromissos foram se avolumando e os livros foram ficando pelo caminho. Agora vou retomar este prazer tão necessário. Mas não será com um dos meus esquecidos. Vou ler “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, totalmente inusitado em meu estilo, mas valioso para meus filhos. Então, quero ler também!!!

34 – Tempo com as irmãs. Outro item da lista fala da visita aos amigos, mas quero acrescentar a necessidade de reservar tempo também para minhas irmãs. Ivana e Milena. De vez em quando a gente consegue um café rápido, um suco, um oi. Mas este momento roubado das nossas agendas precisa ter cara de confraternização, de irmandade mesmo. Falar ao telefone ou mandar mensagem pelo whats vale, mas não pode ser suficiente.

35 – Inspirar. Quando publiquei a primeira parte da lista, recebi mensagens deliciosas de amigos e familiares. Muitos disseram que gostariam de fazer o mesmo. E isso me deixou muito feliz. Não precisa ser 50. Pode ser o que você decidir que será, contanto que te faça feliz.

Paro aqui. Não sei se alcançarei a marca das 50 coisas, porque há algumas que se fundem com outras e a conta nem sempre vai fechar. O que importa são as mudanças, os propósitos e o empenho para tornar cada uma real. Conto com você nesta tarefa e, em breve, vou publicar as primeiras fotos dos itens já cumpridos. #toteesperando

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *