Halitose (mau hálito) – é possível resolver

por Fabiana Chiodini Machado

Halitose ( mau hálito ) não é uma doença. É um sintoma, um sinal de que algo não vai bem, e necessita atenção e cuidados.Todos temos halitose ao acordar. Uns mais, outros menos. E por que ?- Esse mau hálito depois do sono acontece por um fenômeno fisiológico, resultado
de uma leve hipoglicemia (queda de açúcar no sangue, devido ao longo tempo sem alimentação), à redução da saliva (durante o sono ocorre uma grande diminuição do fluxo salivar) e ao acúmulo e putrefação de células epiteliais descamadas e alimentos ( que não tenham sido removidos na higiene oral noturna ).
Mas após o café da manhã e higiene oral adequados ( sim, o café da manhã é muito importante para o cuidado da halitose ) este sintoma deve desaparecer. Se isso não ocorre, é preciso saber a causa.E a primeira pergunta é : Tenho a halitose todos os dias, em vários momentos, ou
apenas em alguns momentos do dia ?Quem responde isso geralmente são pessoas de seu convívio estreito como cônjuge, filhos, pais. Dificilmente um amigo o fará.E aí vem a “conclusão” de que deve ser algum problema com o estômago. ERRADO ! Apenas 1% das causas da halitose está relacionada a problemas gástricos.Então quais são as CAUSAS DA HALITOSE ?– 80% das causas da halitose estão na boca, e a maior “ vilã” é a SABURRA LINGUAL,
que é um material viscoso, esbranquiçado, que adere na língua. Ela é formada por microorganismos que liberam de seu metabolismo substâncias que contêm enxofre, e exalam o odor desagradável. Estes microorganismos também estão presentes na PLACA BACTERIANA que adere na superfície dos dentes e também produz este odor.- Alterações na anatomia da amígdala, como as CRIPTAS AMIGDALIANAS também são grandes responsáveis pelos sintomas de halitose. Criptas são pequenos “buraquinhos” que se formam nas amígdalas, e que acumulam restos alimentares, células descamadas e placa bacteriana – consequentemente microorganismos. Isso tudo libera um odor muito forte e desagradável.- Alteração na qualidade e na quantidade da saliva também é uma causa importante de halitose. Quanto menos saliva a pessoa tem, mais a placa bacteriana vai aderir na superfície dos dentes ( causando inclusive Doença Periodontal ) e na superfície da língua ( formando a Saburra Lingual ).- Alterações emocionais como ansiedade, estresse, nervosismo e problemas
psiquiátricos levam à diminuição da saliva, acúmulo de saburra, placa bacteriana e halitose. Isso é muito comum de observar na clínica diária.- Alguns medicamentos têm como efeito colateral a diminuição da saliva.- Obstrução de vias aéreas superiores, desvios de septo, sinusite, faringite,
amigdalite também são causas importantes. Além das bactérias presentes nas infecções, muitas obstruções levam a pessoa a respirar pela boca, o que provoca o ressecamento da mucosa oral, favorecendo descamações e também o acúmulo de placa bacteriana.- Bebidas alcoólicas, fumo, uso de drogas também diminuem o fluxo salivar e levam à halitose.- Algumas doenças podem provocar um mau funcionamento das glândulas salivares
ou a destruição das mesmas. Exemplo: diabetes, Parkinson, hipertireoidismo, Síndrome de Sjögren, depressão, infecções bacterianas e viróticas das glândulas salivares, etc. Pacientes diabéticos não compensados têm um hálito caracterísitco, de odor cetônico, diferente do hálito bacteriano. Pode se somar a ele se o indivíduo também tiver causas bucais de halitose.- O tipo de dieta, além dos hábitos alimentares, também constituem causas importantes de halitose. A dieta deve ser balanceada, respeitando os três grupos alimentares (carboidratos, proteínas e reguladores) nas três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar).
Como a HALITOSE é multifatorial, ou seja, tem muitas causas possíveis, o tratamento deve ser feito avaliando, analisando e tratando cada uma delas. O exame deve ser minucioso, e cada detalhe deve ser levado em conta.Às vezes apenas algumas orientações são suficientes para o desaparecimento do sintoma. Outras vezes é necessário alguma intervenção na cavidade oral, ou tratamento sistêmico.O importante é saber que o MAU HÁLITO é um SINTOMA, um SINAL de que algo não está bem no seu organismo. Por isso a premissa “ CUIDAR DO HÁLITO É CUIDAR DA SAÚDE “ é tão verdadeira ! Viva bem, e sem mau hálito !

Fabiana Chiodini Machado
Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *